O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, prometeu, neste domingo, "esforços redobrados" para eliminar o grupo Estado Islâmico que reivindicou os atentados de sexta-feira em Paris, na abertura da Cimeira G20, a decorrer em Antalya, na Turquia.

"Vamos redobrar esforços para assegurar uma transição pacífica na Síria e para eliminar o Daech [sigla árabe para Estado Islâmico", afirmou Obama em conferência de imprensa após uma reunião com o seu homólogo turco Recep Tayyip Erdogan, na 10.ª edição da Cimeira anual de chefes de Estado e de Governo do Grupo das 20 (G20) principais economias avançadas e emergentes do mundo.

Antalya, na Turquia, é hoje o centro das decisões no combate ao terrorismo, na sequência dos atentados perpetrados sexta-feira em Paris, que provocaram 129 mortos e 352 feridos, 99 em estado grave.

Já o presidente da Rússia, Vladimir Putin, exortou a comunidade internacional a “unir esforços” para responder à ameaça terrorista, à chegada à Turquia para a cimeira.

“Não podemos controlar a ameaça terrorista […] se toda a comunidade internacional não unir os seus esforços”, declarou Vladimir Putin numa reunião com os líderes dos BRICS – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), pouco antes do arranque do G20.

A propósito de segurança, o líder da oposição de direita em França, Nicolas Sarkozy, vai pedir um relatório sobre os preparativos da COP21, a Cimeira de Paris sobre o clima, a realizar entre 30 de novembro e 11 de dezembro, disseram à France Press fontes do seu partido.

"A manter-se, assumem-se riscos incríveis" e "isso não é razoável", adiantaram as mesmas fontes, menos de 48 horas depois dos atentados terroristas em Paris.
 

As decisões do G20


Os líderes do G20 concordaram em intensificar os controlos nas fronteiras e em aumentar a segurança aérea na sequência dos ataques de Paris.

A informação consta de uma versão preliminar do comunicado conjunto da cimeira, a que a Reuters já teve acesso.

Os líderes do G20 classificam os atentados já reivindicados pelo Estado Islâmico como "hediondos" e garantem que vão continuar unidos na luta contra o terrorismo.

A versão final deste documento só deverá ser divulgada ao final do dia.