A agência France Presse está a avançar, citando uma fonte da investigação, que um jihadista francês fez uma gravação de áudio a reivindicar os ataques em Paris. 

O texto da reivindicação dos ataques de 13 de novembro, em nome do grupo Estado Islâmico, foi lido numa gravação transmitida na Internet por Fabien Clain, um jihadista francês de Toulouse.

Com 35 anos, este homem é próximo de Mohamed Merah, o jihadista que matou três militares, um professor e três estudantes de uma escola judaica em março de 2012, em Toulose.

Ele e o irmão, Jean-Michel, estão no radar do combate ao terrorismo desde 2001, segundo o Le Monde, que cita uma nota dos serviços secretos. Os dois irmãos eram muito conhecidos no seu bairro, Mirail.

Começaram por liderar um grupo de jovens ativistas convertidos ao Islão. Casaram com duas mulheres que usavam burka e ficaram, por isso, conhecidos como o "clã Belphegor". 

Mais tarde, tornaram-se nos principais impulsionadores da fileira extremista denominada "Artigat", criada no início de 2000, e liderada pelo francês de origem síria Olivier Corel.

Em julho de 2009, Fabien Clain foi condenado a cinco anos de prisão por ter facilitado uma cadeia de fornecimento a jihadistas do Iraque. Depois de cumprir a pena foi para a Síria, para integrar o Estado Islâmico.

O seu nome surgiu ligado à preparação dos atentados em igrejas de Paris, em abril, que a polícia francesa conseguiu neutralizar.

A polícia acredita que o principal suspeito, o franco-argelino Sid Ahmed Ghlam, que foi detido pelas autoridades, recebeu ordens da Síria, nomeadamente de Fabien Clain.