Dois dias depois dos ataques terroristas em Paris, o ministro da Defesa francês anunciou um bombardeamento massivo no bastião do Estado Islâmico, Raqqa, na Síria.
 

Segundo avança a agência Reuters, na operação estão envolvidos 10 aviões de combate, que largaram cerca de 20 bombas sobre a cidade. Os caça-bombardeiros estavam estacionados nos Emirados Árabes Unidos e da Jordânia.

De acordo com o governante, citado pela Reuters, foram atingidos o centro de comando e de control do Estado Islâmico, tal como um centro de recrutamento, um armazém de munições e um campo de treino.
 

“O primeiro objetivo destruído era utilizado pelo DAESH (sigla árabe do auto proclamado Estado Islâmico) como posto de comando, centro de recrutamento jiadista e depósito de armas e munições. O segundo objetivo era um campo de treino terrorista”, refere o ministro num comunicado citado pela Agência France Presse.


 

A operação francesa, levada a cabo esta noite, foi coordenada com as forças norte-americanas.