Paulo Henrique Machado viveu praticamente a sua vida inteira no hospital. O brasileiro sofreu uma paralisia infantil, causada por poliomielite, quando era bebé e ainda hoje vive ligado a um respirador artificial 24 horas. Apesar da incapacidade, Paulo aprendeu a trabalhar com animação através do computador e está a criar uma série de televisão sobre a sua vida.

A história, contada pela BBC, não deixa de surpreender. O Paulo Machado conta que as primeiras memórias que tem é de andar pelo hospital numa cadeira de rodas a descobrir aquele que era «o seu universo». «Para mim, jogar futebol ou brincar com brinquedos normais não era uma opção, então sempre mais sobre o uso da minha imaginação».

A mãe morreu quando tinha apenas dois dias. Paulo apanhou poliomielite, num dos últimos surtos que atacaram o Brasil. Várias foram as crianças que partilharam a experiência de doença de Paulo, mas, aos poucos, todas foram perdendo a vida. Restam Paulo e Eliane.

Os médicos não entendem a sobrevivência do par. Mas mantêm o casal junto e acreditam que de alguma forma a convivência entre os dois seja parte do «milagre». «Algumas pessoas acham que nós somos como marido e mulher, mas na realidade somos mais como irmão e irmã», conta.