O ataque a uma base aérea indiana perto da fronteira com o Paquistão, no sábado, foi um ato terrorista “hediondo”, afirmaram os Estados Unidos, apelando aos dois países rivais que juntem esforços para encontrar os responsáveis.

Três membros da Força Aérea indiana morreram no ataque, que se suspeita ter sido levado a cabo por militantes islamitas, na base de Pathankot, no estado de Punjab, no sábado. Pelo menos quatro atacantes foram abatidos pelas forças de segurança.

O possível envolvimento de militantes do Paquistão ameaça prejudicar o diálogo entre os dois países, que já se enfrentaram em três guerras desde a independência em 1947.
 

Número de mortos subiu


Entretanto, o número de mortos do ataque aumentou para 11, depois de mais uma morte de um guarda da segurança nacional.

O ataque contra a base aérea indiana próximo da fronteira paquistanesa, no norte do país, provocou 11 mortos, sete militares e os quatro atacantes, presumíveis combatentes islamitas.

O balanço anterior, feito no sábado, dava conta de sete vítimas mortais: os quatro atacantes e três militares.