Uma ampola que continha sangue de João Paulo II foi roubada da igreja de San Pietro della Ienca, na região de L'Aquilla. De acordo com a polícia, citada pela agência EFE, juntamente com o relicário, foi roubado um crucifixo.

Cerca de 50 polícias participam agora nas buscas para encontrar as preciosidades. Toda a região em torno do pequeno santuário é passada a pente fino.

A igreja de San Pietro della Ienca fica perto da montanha de Gran Sasso, na cordilheira dos Apeninos, região muito querida por João Paulo II, que a visitou várias vezes nos primeiros anos de seu pontificado para meditar, passear e até esquiar.

As autoridades não descartam a hipótese de o roubo ter acontecido com a intenção de praticar alguma espécie de ritual satânico. A ampola agora roubada era uma das únicas três existentes com sangue de João Paulo II.

Não é a primeira vez que um relicário de João Paulo II é roubada. Em agosto de 2012, três ladrões roubaram uma mochila de um padre que continha um relicário em forma de livro, onde estava a ampola de sangue de João Paulo II. A mochila com a ampola, roubada a bordo de um comboio, foi encontrada poucas horas depois, perto da estação de ferrovia de Marina di Cerveteri, no litoral de Roma.