Em atualização

O papa Francisco declarou, na praça de S. Pedro, no Vaticano, santos João XXIII e João Paulo II perante centenas de milhares de fiéis de todo o mundo.

Vaticano: canonização inédita

«Declaramos e definimos santos João XXIII e João Paulo II e os inscrevemos no catálogo dos santos e estabelecemos que dentro da Igreja eles sejam honrados como santos», disse o papa argentino, enquanto os sinos tocavam na cidade de Roma.

A missa da canonização dos papas prossegue praça de S. Pedro.

Durante as cerimónias, o papa Francisco disse que os papas agora proclamados santos, João XXIII e João Paulo II, «restauraram e atualizaram a Igreja segundo a sua fisionomia original».

Perante centenas de milhar de fieis que se reuniram na Praça de São Pedro e nas imediações, o papa indicou que os novos santos foram «homens corajosos, cheios de parresia [termo grego que significa liberdade] e de espírito santo», que deram «testemunho perante a Igreja e o mundo da bondade de Deus, da sua misericórdia».

Relíquias dos santos padres estiveram junto ao altar

As relíquias dos papas hoje proclamados santos foram colocadas junto ao altar principal onde o papa Francisco celebrou a canonização dos pontífices.

Os relicários foram entregues logo após o papa Francisco os declarar como santos.

O relicário em prata do papa Karol Wojtyla foi levado a Francisco por Floribeth Mora Diaz, a mulher da Costa Rica cuja cura em 2011 foi considerada o segundo milagre que serviu para canonizar João Paulo II.