Peregrinos de todo o mundo aguardam com grande expetativa a presença do Papa Francisco na festa de receção aos jovens da Jornada Mundial da Juventude, que ocorrerá ainda esta quinta-feira na praia de Copacabana. Francisco quer ver os jovens nas ruas.

De acordo com a Agência Brasil, já no período da manhã, no Brasil, era possível ver muitos fiéis acampados na praia de Copacabana para ver o papa, mesmo com uma temperatura de 17 graus e com a chuva que cai na cidade nos últimos dias.

O Papa Francisco, que realiza sua primeira viagem internacional desde que se tornou papa, está no Brasil para a 28ª Jornada Mundial da Juventude (JMJ) no Rio de Janeiro, que decorre até ao domingo.

São esperados cerca de 1,5 milhões de jovens peregrinos, de várias partes do mundo, nesta celebração na praia de Copacabana.

A previsão é que Francisco chegue de helicóptero e desembarque no Forte de Copacabana.

Durante o evento, o líder católico vai abençoar os jovens.

A prefeitura do Rio de Janeiro já organizou uma grande operação para os eventos da Jornada Mundial da Juventude, sobretudo aqueles em que o Papa Francisco irá participar.

Cerca de 30 mil homens da polícia civil e militar, da guarda municipal e do corpo de bombeiros reforçarão a segurança em toda região. Medidas necessárias depois dos confrontos e manifestações que cresceream nas ruas brasileiras há umas semanas.

O Papa Francisco encontrou-se hoje, na catedral do Rio de Janeiro, com jovens peregrinos argentinos e pediu-lhes que saiam às ruas e lutem pelos verdadeiros valores católicos.

«Espero uma confusão na Jornada Mundial da Juventude, mas quero confusão e agitação nas dioceses, que vocês saiam às ruas. Quero que a Igreja vá para as ruas», disse o Papa, citado pelo jornal «O Globo».

«Quero que nos defendamos de tudo que seja acomodação e ficar fechado em torno de nós mesmos. As paróquias devem sair às ruas. Se não, acabam por transformar-se numa ONG (organização não governamental). E a Igreja não pode ser uma ONG», cita a Lusa.