O papa Francisco afirmou esta quarta-feira no segundo dia da visita ao Sri Lanka e durante a missa de canonização de José Vaz, um cingalês com origens portuguesas, que «o verdadeiro culto de Deus não leva à discriminação, ao ódio e à violência».

«O verdadeiro culto de Deus não leva à discriminação, ao ódio e à violência, mas ao respeito da santidade da vida, ao respeito pela dignidade e liberdade dos outros e compromisso de amor para todos», disse o Papa no parque Galle Face Green em Colombo, perante milhares de pessoas.

Francisco recordou a figura de Vaz (1651-1711), um missionário indiano nascido na então colónia portuguesa de Goa, que chegou ao Sri Lanka no século XVII quando o país vivia uma perseguição aos católicos.

O papa apelou à liberdade religiosa que classificou como «um direito humano fundamental».

«Todas as pessoas devem ser livres individualmente ou em união com os outros para buscar a verdade e para expressar abertamente as suas convicções religiosas, livre de intimidações e de coações externas», acrescentou o pontífice argentino.