O papa Francisco rezou este sábado, em silêncio, e depositou flores junto ao memorial que recorda as vítimas do genocídio arménio de 1915-17, no início do segundo dia da sua visita à Arménia.

Francisco chegou ao local com o patriarca da Igreja arménia, Karekin II, e os dois foram recebidos pelo Presidente da República, Serge Sargsián.

Inaugurado em 1967, o memorial fica numa colina da capital da Arménia (Erevan) e conta ainda com um museu sobre o genocídio.

O papa visitou o memorial e rezou no local com descendentes das vítimas.

Francisco referiu-se aos massacres, perpetrados no início do século XX pelo exército otomano,  usando o termo "genocídio".

No primeiro discurso na arménia, onde iniciou ontem uma visita apostólica, o papa já tinha denunciado o extermínio dos arménios e acusado o mundo de ter ignorado a tragédia.