O papa Francisco pediu hoje o esforço e a colaboração de todas as instituições para garantir o direito ao trabalho, durante a homilia da missa no Santuário de Nossa Senhora de Bonaria, em Cagliari, capital da ilha de Cerdena.

«É necessária a colaboração leal por parte de todos, o esforço dos responsáveis das instituições, para garantir às pessoas e às famílias os direitos fundamentais», disse o pontífice que, acrescentando: «É preciso garantir o direito ao trabalho, o direito a ganhar-se o pão com o trabalho».

O papa elegeu Cagliari na sua viagem em Itália, depois da ilha de Lampedusa, como cidade exemplo do drama do desemprego e também por esta localidade estar muito próxima da sua cidade natal, Buenos Aires.

«Vim até aqui para partilhar as vossas alegrias e esperanças, cansaços e esforços, os ideais e as aspirações da vossa ilha, e confirmá-los na fé», adiantou.

Sobre a situação de Cerdeña, o papa sublinhou que a região «sofre há algum tempo muitas situações de pobreza, acentuadas pela sua condição insular».

Recordou ainda todos os que emigraram, «deixando esta terra com grande dor e nostalgia, para buscar um novo trabalho e um futuro para eles e os seus entes queridos».

Durante a homilia, Francisco afirmou que «existem pessoas que instintivamente menosprezamos e que, no entanto, necessitam mais ajuda, como os abandonados, os doentes, aqueles que não têm nada para viver, aqueles que não conhecem Jesus, os jovens que atravessam dificuldades e os que não encontram trabalho».

Dados da organização indicam que cerca de 1.600 doentes assistiram a esta celebração.