O Papa Francisco chamou ao presidente da Palestina, Mahmud Abbas, um "anjo da paz" durante um encontro com o líder palestiniano no Vaticano, d epois de, no início da semana, o Papa ter reconhecido o Estado da palestiniano.  Mahmud Abbas deslocou-se à Santa Sé por causa da canonização de duas religiosas palestinianas.

De acordo com a AFP, o elogio foi feito este sábado, durante a tradicional troca de presentes no fim de uma audiência oficial no Palácio Apostólico, em Roma. O Sumo Pontífice presenteou Abbas com um medalhão e explicou que o objeto representa o anjo da paz que "destrói o espírito mau da guerra". O Papa referiu que considera o presente adequado, já que Abbas "é um anjo da paz".

O líder palestino foi convidado ao Vaticano para a canonização de dois santos que eram da região da Palestina, então Império Otomano. A visita também ocorre dias após o Vaticano firmar acordo bilateral com o Estado da Palestina - tornando explícito o reconhecimento do governo e da região como país independente. No encontro com o papa Francisco, Abbas presenteou o representante da Igreja Católica com relíquias dos dois novos santos

No domingo, Mahmud Abbas deverá assistir à canonização de Mariam Bawardi (1846-1878), fundadora do primeiro convento carmelita em Belém, na Palestina; e de Marie-Alphonsine Ghattas (1843-1927), que esteve na origem da congregação dos Santo Rosário de Jerusalém.

Duas outras religiosas, a francesa Jeanne Emilie de Villeneuve (1811-1854), e a italiana Maria Cristina dell'Immacolata (1856-1906), também serão canonizadas na mesma altura.

Um acordo sobre os direitos da Igreja Católica nos territórios palestinianos, negociado depois de 15 anos de interregno, deverá ser assinado, possivelmente ainda este fim-de-semana, e marcará a aproximação do Vaticano ao Estado da Palestina.