“Como poderemos cuidar daqueles que, na sequência da falha irreversível do seu vínculo familiar, optam por uma nova união? Aqueles que iniciam uma nova união após a derrota do seu casamento sacramental não estão excomungados e não podem, de todo, ser tratados como tal. Eles pertencerão sempre à Igreja”, disse o Papa Francisco aos peregrinos e aos turistas presentes na sala Paulo VI, uma alternativa às audiências na Praça de São Pedro.





“Como podem os filhos destes casamentos falhados ser educados no exemplo e na prática da fé se os mantivermos à parte como se fossem excomungados?”, questionou, ainda.