Num encontro de cientistas católicos, no Vaticano, o Papa Francisco comparou as mortes de migrantes no Mediterrâneo ao “flagelo do aborto”.

Nas palavras do pontífice, “deixar imigrantes num barco para morrer no Canal da Sicília” é similar “ao flagelo do aborto”.

O Papa Francisco também classificou como “flagelos” os  “ataques à vida humana”, como a eutanásia, a fome, o terrorismo e a violência.

 
A Catholic News Agency já veio a público dizer que estas afirmações do Papa surgiram quando este participava num encontro da Italian Associazione Scienza & Vita, horas depois de 750 imigrantes terem sido resgatados na Costa da Sicília.

Só este ano, mais de 1.800 pessoas já perderam a vida enquanto tentavam atravessar o mar Mediterrâneo para chegar à Europa.