O papa Francisco condenou esta terça-feira "a violência cega que causa tanto sofrimento", numa mensagem de condolências, na sequência dos atentados mortíferos no aeroporto e metropolitano de Bruxelas.

O papa "condena novamente a violência cega que causa tanto sofrimento e pede a Deus a dádiva da paz", escreveu, em nome do papa, o secretário de Estado do Vaticano, Pietro Parolin, num telegrama enviado ao arcebispo de Bruxelas, Jozef De Kesel.

"O papa Francisco confia à misericórdia de Deus às pessoas que morreram e junta-se, em oração, à dor dos familiares, manifestando profunda compaixão pelos feridos e familiares, bem como por todas as pessoas que contribuem para as operações de socorro", acrescentou.

Várias pessoas morreram e outras ficaram feridas em duas explosões de hoje no aeroporto de Bruxelas.

Fontes do ‘belgocontrol’, o organismo que regula a navegação aérea civil na Bélgica e Luxemburgo, informaram que o aeroporto foi encerrado e a maioria dos voos desviados para outros aeroportos da região.

Foi também encerrado o tráfico ferroviário com ligação às instalações aeroportuárias.

Segundo um testemunho citado pela rádio pública RTBF, as explosões no aeroporto tiveram lugar cerca das 08:00 locais (07:00 em Lisboa) perto de uma porta de embarque para os Estados Unidos, onde estavam muitos passageiros. A testemunha descreve “muitas pessoas ensanguentadas”.

Entretanto, pouco tempo depois ocorreu mais uma explosão junto à estação de metro de Maelbeek, e, segundo a rádio belga, tendo provocado vários mortos e feridos, segundo as autoridades.