O documento do Vaticano que abria as portas da Igreja Católica aos homossexuais tem uma nova versão em inglês que é mais conservadora do que a primeira.

A versão preliminar do documento do Sínodo dos Bispos tinha uma secção com o tema «Acolher os homossexuais», que, na nova versão em língua inglesa, divulgada esta quinta-feira, mudou para «Auxílio às pessoas homossexuais».

Enquanto a primeira versão questionava se a igreja seria capaz de «acolher estas pessoas, garantindo-lhes um espaço fraterno nas nossas comunidades», a nova fala em «auxiliar estas pessoas, garantindo-lhes um espaço de comunhão nas nossas comunidades».

Homossexuais católicos falam em «revolução» na Igreja

O primeiro documento admitia que as uniões entre pessoas do mesmo sexo podiam constituir «um precioso apoio na vida dos parceiros», enquanto a nova corrige para «um valioso apoio na vida destas pessoas».

Segundo a análise feita pela Associated Press, o tom da segunda versão é bem menos «acolhedor» e simpático com os gays e é menos fiel ao original, em italiano.

Homossexuais: bispos portugueses «em sintonia» com Vaticano

O porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, admitiu que foram os bispos britânicos que exigiram as alterações no documento de língua inglesa.

Confrontado com as alterações no tom do documento em inglês, Lombardi prometeu que vai investigar o assunto e não adiantou se haverá, ou não, uma terceira versão.

De qualquer forma, o porta-voz sublinhou que o texto oficial é o que está em italiano, ainda que a versão preliminar ainda esteja a ser analisada. 

O documento final deverá ir a votos no sábado. Se for aprovado, com pelo menos dois terços dos votos, o texto será discutido nas dioceses de todo o mundo.