Notícia atualizada às 16:57

O presidente da Autoridade Nacional Palestiniana, Mahmud Abbas, espera que a oração em que vai participar, este domingo, no Vaticano com o seu homólogo israelita, Shimon Peres, e com o papa Francisco ajude Israel a «decidir» optar pela paz.

«Espero que esta jornada de oração da mente e do coração possa ajudar Israel a decidir-se. Assinei com Simon Peres os acordos de paz em Oslo e na Casa Branca em 1993 mas, por desgraça, o poder executivo está nas mãos dos opositores a estes acordos», explicou Abbas numa entrevista publicada hoje no jornal italiano «La Repubblica».

O ato onde israelitas e palestinianos «invocarão a paz» juntamente com o papa Francisco começará às 18:30 locais (17:30 em Lisboa) e ocorre depois do convite que o papa fez aos dois líderes durante a sua viagem à Terra Santa em finais de maio.

Cerca de duas horas antes da oração com os presidentes, o papa pediu a «todas as pessoas de boa vontade» que se associem à prece «pela paz no Médio Oriente».

«Hoje, peço a todas as pessoas de boa vontade para se unirem à nossa oração pela paz no Médio Oriente», disse o papa numa mensagem aos seus seguidores na rede social Twitter, traduzida em oito línguas.

Os jardins do Vaticano devem ser o palco da «invocação pela paz» inédita e histórica entre o chefe da Igreja Católica e os presidentes israelita e palestiniano.