O município de Jerusalém aprovou a construção de 942 novas habitações em colonatos judaicos em Jerusalém Oriental, território ocupado e anexado, na véspera da retoma das negociações israelo-palestinianas, informou a agência AFP.

«O município aprovou um plano de construção de 942 habitações em Gilo», um colonato, disse o conselheiro municipal Yossef Pepe Alalu, citado pela AFP.

Esta decisão surge depois do anúncio, no domingo, da construção de 1.187 habitações em colonatos judaicos na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental pelo Governo israelita.

EUA exortam palestinianos a não reagirem a anúncio de expansão de colonatos

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, apelou na segunda-feira aos palestinianos para «não reagirem negativamente» ao anúncio de Israel de expansão dos colonatos judaicos na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental.

De visita à Colômbia, Kerry declarou que este anúncio era «esperado numa certa medida» e defendeu que ele não deverá ser um obstáculo ao processo de paz.

«Depois de resolverem as questões da segurança e das fronteiras, resolvem a questão dos colonatos», disse o chefe da diplomacia norte-americana em conferência de imprensa em Bogotá.

Jihadistas reivindicaram ataque contra Israel

Entretanto, um grupo jihadista reivindicou o lançamento esta madrugada de um «rocket» contra o território israelita a partir do Sinai egípcio em resposta a um ataque aéreo atribuído a Israel.

Em comunicado divulgado num fórum jihadista, o Conselho Shura Mujahideen afirma que os seus combatentes lançaram um «rocket» sobre o mar Vermelho à 01:00 (00:00 em Lisboa) em resposta a um «crime dos judeus, que bombardearam o Sinai, causando a morte a quatro» dos seus membros na sexta-feira.

A nota não refere se o ataque de hoje causou danos ou feridos.