O movimento islâmico Hamas apelou hoje a um “confronto aberto e abrangente” com Israel, depois de o pai do bebé palestiniano morto há uma semana ter acabado por sucumbir às queimaduras do incêndio causado por colonos judeus na Cisjordânia.

“Nada vai impedir esses ataques assassinos. Não podemos esperar até que cheguem às nossas cidades e às nossas casas”, escreveu o porta-voz do Hamas Hossam Badran no Facebook, citado pela agência France Presse.

“O nosso povo na Cisjordânia tem apenas uma escolha: a do confronto aberto e abrangente contra a ocupação.”

O pai do bebé palestiniano morto, há uma semana, num incêndio, causado por colonos judeus na Cisjordânia, sucumbiu aos ferimentos, informou hoje fonte oficial. 

Saad Dawabcheh não resistiu às queimaduras e morreu no hospital israelita onde foi internado, disse Ghassan Daghlas, responsável no seio da Autoridade Palestiniana pelo norte da Cisjordânia ocupada, que inclui Doma, a aldeia onde fica a casa à qual quatro israelitas pegaram fogo, segundo as forças de segurança palestinianas. 

A morte foi confirmada por membros da família Dawabcheh em Doma.