A mulher e uma filha do chefe militar do Hamas foram mortas, na noite de terça-feira, por um raide israelita em Gaza, anunciou hoje o movimento islamita palestiniano.

«A mulher do grande líder foi feita mártir com a sua filha», num raide israelita na noite de terça-feira, escreveu o chefe adjunto do Hamas, no exílio, Moussa Abou Marzouk no Facebook.

O dirigente da organização, que não se pronunciou, porém, sobre o destino do comandante das Brigadas Ezzedine al-Qassam, Mohammed Deif, disse que Israel procurava «um pretexto para visar um alto responsável do Hamas».

Secretário-geral da ONU dececionado com violação do cessar-fogo

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, manifestou-se, terça-feira, «profundamente dececionado» com a violação do cessar-fogo que vigorava em Gaza e pediu a israelitas e palestinianos para travarem uma escalada do conflito.

A trégua foi quebrada horas antes de expirar com o lançamento de vários «rockets» a partir de Gaza que levaram Israel a retaliar com ataques aéreos.

Ban Ki-moon condenou veemente a violação do cessar-fogo e lamentou o retomar das hostilidades, num comunicado divulgado pelo seu gabinete de imprensa, recordando a ambas as partes a sua «responsabilidade» em travar uma escalada do conflito.