Espanha viveu nos últimos anos cerca de uma dezena de casos, conhecidos, em que os pais deixaram os seus filhos dentro dos carros, três dos quais terminaram em tragédia, como o que aconteceu quinta-feira em Aveiro, em Portugal, escreve a Lusa.

Pai do bebé que morreu no carro constituído arguido

Dois dos casos mais recentes ocorreram no Verão passado, nas zonas de Girona (Catalunha) e Camas (Sevilha), em circunstâncias diferentes, mas que provocaram, respectivamente, as mortes de um bebé de 25 meses e de outro de 23 meses.

Dois casos em poucas semanas

Separados por poucas semanas, os casos alertaram para um problema que, segundo as autoridades, é demasiado prevalecente.

O caso mais recente ocorreu em Olot (Girona) quando no final de Julho do ano passado, por descuido, os pais de um bebé de 25 meses fecharam-no na mala do carro, provocando a morte por asfixia da criança.

A desgraça ocorreu quando o pai e a mãe se preparavam para ir para casa, de Girona, com os seus filhos, gémeos, em carros separados.

A mãe ficou com um dos irmãos e o marido arrumou o carrinho dos bebés na mala do seu carro, sem dar-se conta de que estava a fechar no interior o seu próprio filho que viajou assim durante quase uma hora até ao destino.

Acidente, sem acusação

O pai explicou às autoridades pensar que os dois gémeos viajavam no carro da mãe e esta que cada um dos cônjuges transportava um dos bebés. Só descobriram a tragédia quando chegaram a casa, tendo ainda transportado o bebé, já inconsciente, para o hospital, onde já chegou morto.

Um juiz de guarda que analisou as circunstâncias do caso acabou por não avançar com qualquer acusação, considerando que se tratou de um acidente, pelo qual não devem ser iniciadas acções criminais.

Três horas ao sol

Poucos dias antes, num outro caso, em Camas (Sevilha), um homem de 48 anos deixou o seu filho fechado dentro do carro durante três horas, ao sol, porque se esqueceu de o entregar no jardim infantil.

O homem não era quem habitualmente levava o filho, que terá adormecido na viagem. O progenitor esqueceu-se depois da criança, fechada no carro, quando foi tratar de documentos.

No processo de acusação, comunicado no final de Fevereiro último, a Procuradoria de Sevilha pede um ano e meio de cadeia para o homem, considerando que este «omitiu as mais elementares normas de cuidado e diligência exigidas a um bom pai de família».

Vai a julgamento

O caso deverá ir a julgamento nos próximos meses, num tribunal penal de Sevilha, ainda que esteja pendente um recurso do advogado de defesa contra o auto de acusação ao homem.

Mas um outro caso de morte ocorreu a 19 de Outubro de 2007 quando uma menina de 21 meses faleceu dentro de um carro fechado em Jávea (Alicante) por um descuido do pai, que também se esqueceu de a levar ao jardim infantil.

Na discoteca

Há relatos de outras situações, como a que ocorreu no ano passado em Puerto de La Cruz, nas Canárias, onde os pais deixaram um bebé de 18 meses no carro durante várias horas enquanto foram para a discoteca. A bebé acabou por ser vista por uma equipa de limpeza municipal, que alertou a Polícia.

O Verão do ano passado ficou também marcado por dois casos semelhantes em França, que resultaram na morte de duas crianças, uma britânica e uma francesa, nas zonas de Chalon-sur-Saône e Pont-de-Chéruy.