O Supremo Tribunal da Austrália declarou esta quinta-feira que o programa governamental para financiar a contratação de sacerdotes para escolas públicas é ilegal, embora Camberra tenha destinado uma elevada quantia em dinheiro para este fim.

O Governo destinou no Orçamento apresentado em maio 235 milhões de dólares (173 milhões de euros) para financiar nos próximos quatro anos este programa.

O tribunal aceitou e decidiu a favor do pedido apresentado pelo padre Ron Williams, que considera não haver lugar para este tipo de programas religiosos nas escolas públicas, revelou a agência AAP.