O padre franciscano Sime Nimac, de 35 anos, é acusado de ter desviado 1.300 milhões de euros provenientes da venda de terrenos da Igreja sem ter informado os seus superiores eclesiásticos da mesma. Nimac era pároco em Baska Voda, perto de Split, no litoral da Croácia.

De acordo com a France Press, o sacerdote terá vendido, em 2012, cerca de 40 mil metros quadrados de terreno pertencente à Igreja e com o dinheiro terá comprado «propriedades de valor», entre as quais um automóvel de luxo e um iate.

No entanto, Nimac quis assegurar as contas da amante, Jasna Bilonic, funcionária do banco que participou na venda. A amante é ainda acusada por ter ajudado o padre na transferência do dinheiro da venda para uma conta particular. Na sua conta, foram descobertos cerca de 300 mil euros.

De acordo com um porta-voz de Split, ambos se declararam inocentes apesar das acusações de que são alvo. Caso sejam condenados, o sacerdote e a suposta amante enfrentam uma pena de 10 anos de prisão.

O caso, sem precedentes na Croácia, está a chocar a opinião pública num país com quase 90% de católicos.

Na imprensa local, o padre é descrito como um homem «bem-parecido», amante de vários luxos e de roupas caras. Já Jasna Bilonic é considerada uma «loira fatal».