Dois suspeitos foram detidos após a operação policial em Bruxelas de terça-feira. A notícia está a ser avançada pela imprensa belga.

A informação das duas detenções surge um dia depois de um tiroteio em Bruxelas, durante uma rusga a uma casa, no subúrbio de Forest, que terminou com a morte de um suspeito e deixou pelo menos quatro polícias feridos. Ainda na terça-feira ficou a saber-se que o suspeito abatido não era Salah Abdelslam, considerado o cérebro dos atentados de Paris.

Segundo a Procuradoria belga, o suspeito morto chamava-se Mohammed Belkaid, tinha 25 anos, era de nacionalidade algeriana, estava ilegal na Bélgica e era conhecido da justiça por roubo. Durante a conferência, a procuradoria revelou ainda que os seis polícias que participaram na operação, dois são franceses. 

Quanto ao momento de assalto ao apartamento, o comunicado da Procuradoria lido durante a conferência descreve que, aquando a entrada das autoridades no apartamento, pelo menos duas pessoas abriram fogo contra a polícia. Três dos seis polícias ficaram feridos sem gravidade, entre os quais um francês. Durante a troca de tiros, uma das armas dos polícias ficou danificada, tal como os coletes à prova de bala.

O pior foi evitado graças à rápida resposta e retirada da polícia", pode ler-se no comunicado.

Depois do primeiro embate, houve nova troca de tiros na qual um outro polícia ficou ferido. Um dos suspeitos tentou balear os polícias através de uma janela e acabou por ser abatido por um franco-atirador. 

No interior do apartamento foram encontrados onze carregadores de Kalashnikov, um livro e uma bandeira salafistas.

Suspeito recorre ao hospital

Após a morte de Mohammed Belkaid, outros dois suspeitos colocaram-se em fuga tendo um deles sido detido depois de recorrer ao hospital de Hal. Com uma perna partida, um dos homens foi admitido naquela unidade hospitalar à 1:15, tendo sido trazido por um outro homem, que continua a ser procurado pela polícia. Já o suspeito ferido foi entretanto operado, não tendo ainda sido ouvido pelas autoridades.

Um outro suspeito foi detido em Neerstalle, em Forest, e encontra-se ainda em curso uma outra "caça ao homem" em Leeuw Saint Pierre, sobre a qual as autoridades não "comunicar resultados".

Na Bélgica está em curso uma operação anti-terrorismo, na sequência dos ataques na capital francesa, a 13 de novembro de 2015, que fizeram 130 mortos.