O Presidente do Uruguai afirmou, esta sexta-feira, que a Alto-comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) «conta com os recursos necessários» e vai providenciar habitação para os seis ex-prisioneiros de Guantánamo acolhidos no país.

«Em relação aos antigos prisioneiros políticos de Guantánamo, temos a informação de que a ACNUR conta com os recursos necessários para atender os pedidos destes e que, em breve, cada um deles terá uma casa», declarou Tabaré Vázquez, após participar, no âmbito da VII Cimeira das Américas, num Fórum da Sociedade Civil, com os homólogos dos Estados Unidos e Costa Rica, Barack Obama e Luis Guillermo Solís.

Encontram-se atualmente no Uruguai seis antigos prisioneiros de Guantánamo: quatro sírios, um tunisino e um palestiniano.

Esta semana, o Presidente uruguaio declarou que, apesar de o país ter aceitado conceder asilo aos seis antigos detidos, é aos Estados Unidos que cabe proporcionar-lhes «todos os meios» para uma «vida digna».

Também o ex-presidente José Mujica (2010-2015), que impulsionou o acolhimento de antigos prisioneiros como refugiados, afirmou recentemente que estes talvez «necessitem de maior ajuda económica» do que aquela que o Uruguai lhes proporciona, defendendo, por isso, que os Estados Unidos têm de «inventar» uma forma de os ajudar economicamente, já que, a seu ver, Washington «é responsável» pela sua situação.