O ex-secretário-geral da Organização das Nações Unidas Boutros Boutros-Ghali morreu esta terça-feira. A notícia foi anunciada pelo presidente do Conselho de Segurança da ONU este mês, Rafael Dario Ramirez Carreno.

Boutros-Ghali tinha 93 anos e estava internado num hospital nos arredores do Cairo, segundo noticia o jornal egípcio Al Ahram, na sua edição eletrónica. 

Nascido no Egito em 1926, estudou no Cairo, em Paris e mais tarde Relações Internacionais na Universidade de Columbia em Nova Iorque.

Em 1977, assumiu a pasta dos Negócios Estrangeiros do Egito.

Foi secretário-geral da ONU de 1992 a 1996, tornando-se no primeiro árabe a assumir o cargo.

Assumiu a liderança da ONU num tempo conturbado para a organização, marcado pelas crises na Somália, no Ruanda, no Médio Oriente e na antiga Jugoslávia. 

Depois de deixar a ONU, foi secretário-geral da Organização Internacional da Francofonia, entre 1998 e 2002.

A morte de Boutros-Ghali foi anunciada esta terça-feira durante uma sessão sobre a crise humanitária do Iémen. Os 15 membros do Conselho de Segurança prestaram homenagem ao ex-secretário-geral com um minuto de silêncio.