Militares que combatem pelas forças governamentais do Sudão do Sul foram autorizados a “violar mulheres como forma de pagamento”, denunciou esta sexta-feira a ONU, considerando que a situação dos direitos humanos naquele país está “entre as mais horríveis” do mundo.

Trata-se de uma situação de direitos humanos entre os mais horríveis no mundo, com uma utilização em massa de violações como instrumento de terror e como arma de guerra”, declarou o alto comissário da ONU para os Direitos Humanos, Zeid Ra’ad al-Hussein.

“A escala e o tipo de violência sexual - que são principalmente feito das forças governamentais (Exército de Libertação do Povo do Sudão) e as milícias afiliadas - são descritos com detalhes terríveis e devastadoras, como a atitude - quase casual, mas calculado - daqueles que massacraram civis e destruíram propriedades e meios de subsistência", acrescentou.