A Malásia entregou, na quarta-feira, à ONU um projeto de resolução, pedindo a criação de um tribunal especial para julgar os responsáveis pela queda do voo MH17, o Boeing malaio abatido no leste da Ucrânia, em julho de 2014.

O projeto de resolução, a que a AFP teve acesso, pede a criação do tribunal ao abrigo do capítulo 7 da Carta da ONU, para obrigar os países membros a colaborar com o tribunal, sob pena de sofrerem sanções.

O Boeing 777 da Malaysia Airlines foi abatido a 17 de julho de 2014 no leste da Ucrânia, durante o combate entre os separatistas pró-russos e as forças governamentais ucranianas. A maioria dos 298 passageiros era holandesa.