As Nações Unidas (ONU) expressaram, na sexta-feira, preocupação pela crise na Venezuela, onde, desde abril, cerca de 1.500 pessoas ficaram feridas e pelo menos 93 morreram, no âmbito de protestos contra o Governo do Presidente Nicolás Maduro.

Em comunicado, o secretário-geral da ONU, António Guterres, defendeu “paz e democracia na Venezuela", sublinhando que uma solução para a atual crise deve ser encontrada apenas pelos venezuelanos.

"A solução passa por um acordo, eleições e o respeito pelos direitos fundamentais e pelos poderes constitucionais", disse Guterres, apelando ao diálogo entre o Governo e a oposição, para erradicar a violência e outros abusos, e preservar um caminho constitucional acordado.