O governo iemenita solicitou na quarta-feira uma intervenção militar terrestre da comunidade internacional para “salvar o Iémen” e denunciou “atrocidades” dos rebeldes xiitas ‘houthis’, em carta dirigida ao Conselho de Segurança da ONU.

“Apelamos à comunidade internacional para que intervenha rapidamente com orças terrestres para salvar o Iémen, em particular Aden e Taez”, escreveu no texto o embaixador iemenita na Organização das Nações Unidas (ONU), Khaled Alyemany.

Denunciando alegadas “atrocidades” cometidas pelos ‘houthis’, como alvejar a tiro civis que procuravam fugir do país, o embaixador “convida as organizações humanitárias internacionais a documentar as violações bárbaras cometidas contra uma população sem defesa”.