O ministro do estado dos Estados Unidos revelou que a Coreia do Norte rejeitou o programa de ajuda alimentar norte-americano. «Esta medida não contribui para o acordo a que chegamos em 2008 com o país», afirma Robert Wood, porta-voz do departamento de Estado dos EUA, citado pelo «El País».

Os dois países tinham acordado em Maio de 2008 que durante um ano a Coreia do Norte receberia 500 mil toneladas de alimentos em troca do abandono do programa nuclear. Até a momento chegaram ao país apenas 169 mil toneladas de alimentos.

Esta medida vem aumentar as tensões nas relações entre Washington e Pyongyang, deterioradas na semana passada devido à possibilidade do lançamento de um satélite norte-coreano, que os EUA acreditam ser um teste nuclear, e às manobras conjuntas das tropas americanas e sul-coreanas próximas da fronteira, consideradas pela Coreia do Norte uma provocação.

«Esta ajuda nada tem a ver com a as conversações a seis. Isto tem a ver com a nossa preocupação real com as pessoas», afirmou Wood, fazendo referência às conversações levadas a cabo pela Coreia do Norte, Coreia do Sul, Rússia, China, Japão e Estados Unidos que romperam após Pyongyang negar que material nuclear tenha sido testado no exterior.

O governo da Coreia do Norte já advertiu os trabalhadores das organizações humanitárias para que abandonem país até a final do mês. Entretanto a ONU calcula que mais de seis milhões de pessoas vão deixar de receber os alimentos que necessitam.