A Austrália rejeitou, esta terça-feira, as críticas da ONU de que a forma como trata requerentes de asilo está a conduzir «a uma série de violações dos direitos humanos».

O novo alto comissário da ONU para os Direitos Humanos, Zeid al-Hussein, aproveitou, esta segunda-feira, o seu discurso inaugural, em Genebra, para criticar a forma como a Austrália lida com os requerentes de asilo, advertindo que a sua política está a conduzir a uma série de violações, as quais incluem a detenção arbitrária e eventual tortura após o seu repatriamento.

À luz da política de «linha dura» de Camberra, os imigrantes que chegaram à Austrália desde julho de 2013 - incluindo menores - têm sido enviados para centros na ilha de Manus, na Papua Nova Guiné, e para o remoto estado de Nauru, no Pacífico.