Isaac Theil deixou um «perfeito estranho» fazer uma soneca no seu ombro, durante uma viagem de metro, simplesmente porque «se lembrou de, no seu tempo,, devido ao cansaço, também ter dormido no ombro de estranhos no final de um longo dia de trabalho», escreve o «Huffington Post» que cita a Tova Ross of Tablet Magazine.

Outros passageiros, registaram o momento, com uma fotografia e divulgaram as imagens nas redes sociais. Em pouco tempo, era um fenómeno, tornou-se viral.

Um desses passageiros relata o sucedido. «Um rapaz de cor, a dormir, caiu literalmente no ombro de um senhor judeu. Ficou imóvel e deixou estar o jovem. Perguntei-lhe se queria que acordasse o rapaz a dormir no seu ombro e ele respondeu que "não". Lembrava-se "no seu tempo, devido ao cansaço, também ter dormido no ombro de estranhos no final de um longo dia de trabalho"».

O sucesso do seu momento «de bondade» espanta Isaac Theil e é o próprio a encontrar uma explicação. Envolve «um rapaz de cor e um judeu». E continua a insistir que não era um questão de raça, mas de «um ser humano exausto».

O «dorminhoco» chama-se Garvey Dutes e foi agradecer o gesto através de um comentário no Facebook, numa das páginas onde a imagem foi partilhada. «Este sou eu. Não estava drogado. Estava a terminar um longo dia na Universidade, estava cansado e adormeci. Até me lembro de adormecer. Ahahah... Agradeço à pessoa que me deixou dormir no seu ombro».