A ex-mulher de Omar Mateen, o alegado atirador de Orlando, relata uma união de maus tratos e abusos permanentes. A jovem esteve casada com Omar apenas quatro meses, o suficiente para perceber que “era uma pessoa instável”.

Conheceram-se online, há cerca de oito anos. Sitora Yusifiy decidiu mudar-se para a Florida e casar com ele. No início, viveu um sonho, mas depois veio o pesadelo.

Batia-me. Chegava a casa e batia-me apenas porque a roupa não estava pronta, por exemplo”, revela, citada pelo The Washington Post.

As palavras da ex-mulher de Mateen têm também eco na imprensa europeia. O jornal britânico The Independent conta que os dois casaram em março de 2009 e foram viver para um T2 que era da família de Omar. O marido parecia-lhe então uma pessoa “reservada”, mas “normal”. Não era muito religioso e era assíduo no ginásio. Não havia sinais de radicalismo islâmico.

Omar Mateen (DR)

Mas em pouco tempo, os abusos começaram e adensaram-se. Quando a família de Sitora percebeu, viajou até à Florida e arrancou-a de casa, com a roupa do corpo. “Salvaram a minha vida”, conta.

O divórcio legal aconteceu em 2011.