O atirador de Orlando foi à discoteca Pulse horas antes da chacina que levou a cabo. Omar Mateen esteve no estabelecimento no sábado à noite, saiu e voltou mais tarde, quando a discoteca gay se preparava para fechar, já no domingo de madrugada. Nessa altura, matou 49 pessoas, antes de ser ele próprio morto pela polícia.

A notícia é avançada pela CNN, que cita fontes ligadas à investigação. Já se sabia que Omar frequentara a discoteca antes. Agora, sabe-se que esteve lá no próprio dia poucas horas antes de levar o ataque a cabo.

De acordo com a CNN, o homem pagou a entrada e obteve uma pulseira que dava acesso ao clube. Os investigadores acreditam que o tenha feito para testar a segurança do espaço.

O FBI está a tentar traçar um cronograma dos passos de Omar nessa noite. Para isso, está a usar imagens de videovigilância, rastreamento de telemóveis e também entrevistas a testemunhas. Continua a ser ainda uma incógnita o que fez no período de duas horas entre ter saído do bar a primeira vez e ter voltado para matar.

Esta terça-feira, as autoridades avançaram também que Omar comprara, no dia anterior, três bilhetes de avião para São Francisco. A viagem que preparava com a mulher e com o filho estava prevista para julho.

Noor Salman, a mulher de Omar, disse aos investigadores que ele saiu furioso de casa na noite do ataque, carregando uma mala com as armas. A mulher garantiu que tentou detê-lo e ainda o segurou por um braço, mas sem sucesso. Durante a noite, tentou contactá-lo, através do telemóvel, mas também sem sucesso.