Uma mulher foi detida, no Brasil, na sequência de uma denúncia que deu conta da existência de uma criança na mala de viagem que transportava. A detenção teve lugar na estação rodoviária de Novo Rio, no Brasil. 

A mulher garantiu que não se tratava de um rapto, mas sim de uma tentativa de proteger a criança, que vivia num clima de violência e más condições.

Um vídeo feito por um dos agentes da polícia mostra o momento em que as autoridades abordam a Natasha Vitorino, de 23 anos, ainda com a criança dentro da mala. A suspeita foi conduzida até à sala da Polícia Militar da estação. A saída da criança da mala só ocorreu dentro da sala, para se “preservar a imagem da criança”, garantiu o coronel da Polícia Militar de Áreas Turísticas.

Natasha acabou por confessar as razões para o sucedido, afirmando que conheceu o menino na última sexta-feira, junto de um sinal de trânsito. O menino, morador de rua, falou sobre a sua história de vida chocante e sensibilizou a mulher de 23 anos.

Ele tem uma história muito triste. Foi adotado por uma família que depois o devolveu às ruas. Eu não o podia deixar ali”, revelou Natasha no vídeo feito por um polícia.

A ação imediata das autoridades é resultado do aumento do policiamento nas principais áreas de circulação de pessoas, principalmente por causa da realização dos Jogos Olímpicos.

Quando o evento começar, espera-se que 2,5 milhões de pessoas passem pela estação rodoviário de Novo Rio, sendo que cerca de 250 serão estrangeiras.

Os agentes policiais que fizeram a abordagem fazem parte do efetivo aumento na rodoviária. Esse planeamento de segurança possibilitou tirar de circulação essa mulher que sairia do Estado com a criança dentro de uma bagagem e, também, preservar a vida dessa criança, pois não sabemos se chegaria sã e salva ao seu destino”, afirmou o coronel Mauro Fliess ao jornal Folha de São Paulo

A mulher aguarda julgamento em prisão preventiva e a criança foi levada pelo conselho tutelar.