A morte do físico britânico Stephen Hawking foi assinalada por milhares de utilizadores nas redes sociais, e desde logo por responsáveis de marcas globais. O seu trabalho na área da relatividade e dos buracos negros destaca-se no seu vasto percurso enquanto cientista, a sua dimensão humana fez dele uma pop star e a história de vida de alguém que viveu mais de 50 anos com uma doença, a a ELA, depois de lhe terem sido dados apenas dois anos de vida. Tinha 76 anos de idade e faleceu na sua casa, em Cambridge, Reino Unido.

 

"O mundo perdeu uma mente bonita e um brilhante cientista", disse o CEO da Google, Sundar Pichai.

 

 

"Perdemos hoje um dos grandes", escreveu o CEO da Microsoft, Satya Nadella, acrescentando que "o legado e o brilho" de Hawking's viverão para sempre.

O dono da Virgin Galactic, em 2017, convidou o cientista para uma viagem ao espaço, que Stephen Hawking prontamente aceitou. Esta quarta-feira, a empresa publicou uma nota a homenageá-lo. "Um dia triste para todos na Virgen Galactic. O professor Stephen Hawking fazia parte da nossa família desde o primeiro dia. O seu apoio à abertura do Espaço, o seu entusiasmo para voar, humilde e inspirado".

 

 

Os astronautas Scott Kelly e Chris Hadfield também saudaram a obra de Hawkings.

 

O criador dos Simpsons, que o imortalizou na popular série, também prestou homenagem ao cientista.

A cantora Katy Perry assinalou no Twitter o desaparecimento de Hawking, dizendo: "Há um grande buraco negro no meu coração.