O multimilionário saudita e vendedor de armas Adnan Khashoggi, conhecido pelo seu estilo de vida sumptuoso, morreu esta terça-feira, em Londres, aos 82 anos, anunciou a sua família, em comunicado.

Khashoggi, que sofria da doença de Parkinson, morreu rodeado pelos filhos, segundo refere o comunicado.

O multimilionário saudita foi considerado um dos homens mais ricos do mundo, com uma fortuna avaliada em quatro mil milhões de dólares nos anos 1970.

Na década seguinte, Khashoggi esteve envolvido no caso Irão-contras, ocorrido durante a presidência de Ronald Reagan nos Estados Unidos, que facilitavam a venda de armas ao regime de Teerão, alvo de um embargo internacional, e usavam os lucros para apoiar os que combatiam o poder sandinista na Nicarágua.

Adnan Khashoggi era tio de Dodi Fayed, companheiro da princesa Diana, que com ela morreu no acidente de viação em Paris, ocorrido a 31 de agosto de 1997.

Para a família, em comunicado, Khashoggi “combinou a perspicácia comercial com uma lealdade acima de toda a prova ao seu país, o reino da Arábia Saudita" e "no seu trabalho sempre apoiou os interesses do seu país”.