O senador republicano Ted Cruz, o primeiro candidato a oficializar as suas aspirações presidenciais para 2016, admitiu terça-feira que irá usufruir da cobertura médica lançada por Barack Obama, apesar de ter batalhado contra a medida no Congresso.

Até agora, Ted Cruz tinha um seguro médico de alto padrão devido ao emprego da sua mulher, Heidi, no banco de investimento Goldman Sach.

Após o anúncio da candidatura do senador na segunda-feira, a mulher Heidi solicitou uma licença laboral para se dedicar à campanha do marido, o que obrigou a família a procurar outra forma de garantia de assistência de saúde.

«Estamos num processo de transição nesse sentido», disse Ted Cruz à cadeia CNN, referindo-se a um seguro sob a reforma do sistema de assistência promovido por Barack Obama há cinco anos.

O processo foi lançado pelo Presidente norte-americano tendo como objetivo alargar a assistência médica a toda a população e estabelecer a obrigatoriedade de adquirir um seguro, a parte mais controversa e duramente questionada pelos republicanos.

Ted Cruz é um dos líderes da ala ultraconservadora do Partido Republicano, o Tea Party, e um dos que se opuseram com maior dureza à reforma da saúde de Obama, que, garante Cruz, será revogada se ele, ou um dos companheiros de partido, chegarem à Casa Branca em 2016.