ACTUALIZADO ÀS 07H20

O democrata Barack Obama declarou a vitória nas eleições primárias norte-americanas e anunciou que será o candidato pelo Partido Democrata às eleições presidenciais.

No discurso da vitória, o senador elogiou a rival Hillary Clinton por «inspirar milhões de eleitores» e admitiu até que o confronto com a ex-primeira dama o transformou num candidato melhor.

É chegada a hora de os democratas se unirem para derrotar o republicano John McCain, referiu ainda o candidato, numa alusão à divisão interna dentro do partido.

«Vamos unir-nos num esforço comum para desenhar um novo caminho para a América», referiu.

McCain parecido com Bush

Sobre o candidato republicano, Obama disse que está cada vez mais parecido com o presidente George W. Bush. E a propósito, citou a promessa de McCain de manter a actual estratégia de Bush no Iraque.

«Nós devemos ser tão cuidadosos para sair quanto fomos descuidados para entrar, mas para começar nós precisamos de sair. É hora de os iraquianos assumirem a responsabilidade pelo seu futuro», declarou.

Hillary não assume derrota

Hillary Clinton, que venceu no Dakota do Sul, já comentou a declaração de vitória de Obama, mas não deu ainda a batalha por perdida, anunciando que está a reflectir. «Não vou tomar qualquer decisão neste momento».

Vitória em Montana

Barack Obama assegurou no estado de Montana a nomeação democrata para a corrida à presidência dos Estados Unidos.

O senador garantiu o número suficiente de delegados e superdelegados para conquistar essa posição, que o colocará frente-e-frente com o republicano John McCain.

Obama: «Terminou uma jornada histórica e começa outra»

Hillary Clinton ainda não quer admitir a derrota

McCain já ataca Obama e acena com bandeira dos combustíveis

Eram necessário 2118 delegados, mas Obama já chegou aos 2132. Ainda nesta noite, soube-se que Barack venceu a votação no Montana e Hillary no Dakota do Sul, as derradeiras nestas longas e duras primárias.