O primeiro-ministro iraquiano, Nuri al-Maliki, afastou esta terça-feira de funções altos responsáveis das forças de segurança iraquianas, na sequência da insurreição sunita, liderada pelo grupo jihadista Estado Islâmico do Iraque e do Levante, que abala o país.

Um dos oficiais afastados foi o tenente-general Mahdi al-Gharawi, o comandante responsável pelas forças de segurança na província de Ninive (norte do Iraque), a primeira que caiu nas mãos dos jihadistas, segundo um comunicado oficial, que foi lido pelo próprio primeiro-ministro iraquiano na televisão estatal.

Outro alto responsável militar irá enfrentar um tribunal marcial por deserção, acrescentou Nuri al-Maliki.

Nos Estados Unidos, o Presidente norte-americano, Barack Obama, que está em pleno período de reflexão sobre a estratégia a adotar no Iraque, convidou os líderes do Congresso para uma reunião na Casa Branca para debater a crise iraquiana.

O encontro, hoje confirmado pela Casa Branca e por várias fontes parlamentares, será realizado na quarta-feira.

A reunião vai contar com a presença do presidente da Câmara de Representantes (câmara baixa do Congresso) e da líder da minoria democrata, John Boehner e Nancy Pelosi, respetivamente, mas também do líder da maioria democrata do Senado (câmara alta do Congresso) Harry Reid e do representante da minoria republicana Mitch McConnell.