A al Qaeda do Iémen, o mesmo grupo terrorista que reivindicou a autoria moral do massacre ao jornal satírico francês, «Charlie Hebdo», que fez 12 vítimas a 7 de janeiro, terá vindo esta terça-feira, num vídeo, incentivar a novos ataques contra os Estados Unidos e o Ocidente.

Nasser bin Ali al-Ansi, um dos mentores desta célula terrorista, apelou aos seus seguidores que levem a cabo ataques jihadistas individuais, de acordo com o site que monitoriza o grupo islâmico e que intercetou o vídeo, como descreve a AFP. 

«Estamos preparados e atentos aos inimigos de Alá. Incitamos os crentes a fazerem isso», cita a AFP.

Nasser bin Ali al-Ansi defendeu que os ataques isolados são «mais eficazes» para esses países.

Não está, até ao momento, esclarecida a dimensão da intervenção da al Qaeda da Península Arábica nos ataques em França, embora seja quase certo de que os dois homens autores do massacre tinham ligações ao grupo extremista, tendo recebido inclusive treino destes terroristas.

Os Estados Unidos consideram a al Qaeda da Península Ibérica um dos grupos terroristas mais perigosos do mundo.