Sammy Yatim, de 18 anos, foi baleado nove vezes por um agente da polícia de Toronto, no Canadá, no sábado à noite. O caso está a levantar polémica no país.

Sammy Yatim entrou num autocarro na baixa de Toronto e mostrou uma faca. Os passageiros sairam todos do veículo e não há registo de feridos. Contudo a polícia atingiu-o nove vezes. A sociedade procura agora explicações para a morte do jovem imigrante sírio. As circunstâncias em que se deram os factos estão a ser averiguadas e o polícia suspenso de funções.

Testemunhos dizem que a polícia atirou sucessivamente sobre o jovem até utilizar o taser. O rapaz acabou por ser declarado cadáver já no hospital.

O adolescente estava a viver com o pai há cinco ano no Canadá, altura em que deixou a Síria. A mãe ainda vive em Aleppo. No entanto, desde junho que havia saído de casa, após discutir com o pai, que se reclamava dele fumar erva e não ter um emprego fixo, conta o «Toronto Star».

A família enlutada não está contra a polícia enquanto instituição, mas apela a uma investigação verdadeira à morte do familiar. Por seu turno, o chefe da polícia já apresentou as condolências à família, refere a CP24.

O agente que alegadamente matou o jovem sírio está suspenso de funções, mas continua a receber o salário. James Forcillo, naquela força há seis anos, é casado e pai de um bebé.

A comunidade organizou uma manifestação e uma marcha pelas ruas de Toronto para criticar a violência policial.