Um juiz de Nova Iorque condenou o dono de uma agência imobiliária a pagar uma indemnização milionária, depois de ter mandado apagar 45 grafittis que estavam estampados num famoso conjunto de edifícios em Long Island, conhecido como "5Pointz". 

Gerald Wolkoff, considerado um dos nomes mais poderosos do ramo imobiliário da cidade, foi obrigado a pagar ,.7 milhões de dólares - cerca de 5,44 milhões de euros - ao grupo de artistas responsáveis pelos graffitis em causa, depois destes terem interposto uma ação contra o empresário ao terem conhecimento que os desenhos tinham sido apagados.

Quando comprou o prédio, Wolkoff começou por mandar apagar os obras de arte dos artistas (uma decisão que causou desde logo alguma polémica e contestação) para, posteriormente, ordenar a destruição do edifício, com o propósito de ali construir novos e modernos apartamentos.

A sentença, conhecida na segunda-feira, considerou que, ao abrigo da "Lei de Direitos dos Artistas Visuais", as pinturas deviam ter sido preservadas. 

O complexo de edifícios "5Pointz" era um local sagrado para vários artistas de rua desde os anos 90, tendo sido considerado um dos lugares dos Estados Unidos com mais murais de arte urbana ao ar livre.

Em declarações à imprensa local, Eric Baum, um dos advogados dos artistas, considerou que a decisão do juiz era uma vitória para os artistas de todo o país. 

A arte protegida por leis federais não pode ser destruída", disse o advogado ao The New York Times.