Os moradores de Norwood, subúrbio de Adelaide, no sul da Austrália, estão revoltados com os planos para cortar um sobreiro português centenário, para a construção de um parque de estacionamento subterrâneo na localidade, noticia esta segunda-feira o «The Australian».

De acordo com o jornal, as autoridades locais estão a analisar o pedido feito pela empresa construtora Coles, mas o presidente do grupo de moradores da localidade, Jim Dunk, referiu que o sobreiro representa uma parte importante do património da região.

Os moradores e apoiantes da causa disseram que vão pedir a intervenção do Governo do estado da Austrália do Sul para impedir que a árvore seja derrubada.

Os habitantes consideram o corte da árvore «um vandalismo» e a «perda para as gerações futuras» de uma parte significativa do património botânico da localidade.

A National Trust of Austrália - organização que defende a preservação do património indígena, natural e histórico do país, diz que, segundo os seus registos, a árvore foi plantada pelo conselho municipal de Kensigton e Norwood, mas outros reivindicam o plantio do sobreiro.

De acordo com Clyde Buttery, de 76 anos, citado pelo «The Australian», o seu bisavô Henry Buttery trouxe a árvore de Portugal quando viajou de Inglaterra para o sul da Austrália em 1870.

«A minha bisavó estava grávida na época e, aparentemente, o meu bisavô deu mais atenção à árvore do que a ela», contou Buttery.

A árvore «faz parte da história de Norwood e é parte da história da minha família», argumentou o australiano.

Henry Buttery terá plantado a árvore no quintal da sua casa em Norwood, quando comprou o imóvel. A família é conhecida no ramo do fabrico de móveis.

Segundo Jim Dunk, sobreiros foram também plantados em outras partes da Austrália, como em Tenterfield, em Nova Gales do Sul, e em Caufield, em Vitória, tendo sido conservados e já fazendo parte do património desses estados australianos.