Um homem encontrado em coma, no meio da neve das ruas de Oslo, acordou sem memória. Não tem ideia de quem é ou de onde vem. As autoridades norueguesas chamaram-lhe «John Smith» e procuram agora a sua verdadeira identidade.



Quando foi encontrado, o jovem tinha drogas no organismo e cortes nos pulsos, que sugeriam que tinha sido amarrado. «Os cortes eram profundos e levaram vários meses a sarar. Era bastante óbvio que as minhas mãos tinham sido amarradas. Estava paralisado e não conseguia falar, mas os médicos disseram que era das drogas que tinha no organismo», disse a uma estação de televisão norueguesa.

Ele tem a certeza que não é norueguês, mas é a única coisa que sabe sobre si. «Acho que sou checo, porque é a língua que entendo melhor. Também entendo polaco, eslovaco e russo. Mas penso e sonho em inglês», contou.

«Estou com medo e não quero mais nada do que sair desta situação», admitiu ainda.

O rapaz foi descoberto por um homem que passava numa zona industrial de Oslo, no dia 15 de Dezembro do ano passado. Esteve três dias em coma.

O caso está já a ser investigado pela Interpol, mas até agora sem resultados. As autoridades já descartaram que se trate de um criminoso, embora ele até diga que preferia ser um criminoso e estar preso a não saber quem é.

A polícia está a investigar o caso como tratando-se de uma situação de violência e crime sexual.