Uma aldeia norueguesa saiu, esta quarta-feira, das «trevas» a que está votada durante metade do ano devido à falta de luz solar direta, graças a espelhos gigantes instalados nas montanhas que a rodeiam.

Situada no fundo de um vale no sul da Noruega, a aldeia com 3.500 habitantes não recebe luz solar direta de setembro a março, mas um artista local, Martin Andersen, concretizou uma ideia antiga, instalando três enormes espelhos nas montanhas acima de Rjukan.

O projeto causou polémica, questionando-se a validade de utilizar dinheiros públicos na instalação dos espelhos, que ficaram por 610 mil euros, 80 por cento dos quais conseguidos através de patrocínios.