Um casal francês foi proibido pelo tribunal de Valenciennes, no norte de França, de chamar Nutella à filha, noticia o jornal La Voix du Nord.

Quando os pais tentaram registar a criança nascida a 24 de setembro de 2014, o oficial do registo civil não gostou do nome e decidiu apresentar o caso ao procurador de Valenciennes. O caso acabou por chegar a tribunal para que a justiça ordenasse a eliminação do registo.

No final de novembro, o tribunal acabou por considerar que «Nutella» não era um nome adequado e que ia ao «contrário do interesse da criança», tornando-a alvo de provocações, e por isso «ordenou a supressão do registo do estado civil».
«Neste caso, o nome “Nutella” dado a criança é o nome de uma marca. É contrário ao interesse da criança usar um nome como este que só pode levar a provocações ou pensamentos depreciativos», alegou o tribunal.

Como os pais não compareceram à audiência, coube ao juiz escolher o nome da criança: Ella.

Ao contrário de Portugal, a lei francesa permite que os pais deem aos filhos o nome que entendem. No entanto, o funcionário do registo civil tem o poder de zelar pelo interesse da criança se lhe surgir um nome que não lhe pareça adequado.