A principal universidade do Egito proibiu médicas e enfermeiras de usar 'niqab', um véu que cobre todo o rosto menos os olhos, no desempenho do seu trabalho nos hospitais dependentes do estabelecimento, foi hoje noticiado.

A resolução, adotada pelo reitor da universidade do Cairo Gaber Nasar, começou a ser aplicada no domingo nos hospitais de Qasr al-Aini e Al-Faransaui, na capital egícia, bem como em todos os centros de saúde universitários, de acordo com vários 'media'.

Nasar disse que a decisão, publicada na edição digital do diário estatal Al Ahram, foi tomada para facilitar o trabalho e "defender os direitos dos doentes".