A comissão de inquérito judicial criada pelo Governo da Guiné-Bissau para investigar os assassínios do Presidente «Nino» Vieira e do chefe das Forças Armadas começa esta quarta-feira a trabalhar, disse o Procurador-Geral da República guineense, Luís Manuel Cabral, escreve a Lusa.

«A comissão vai começar o trabalho hoje. Dentro de instantes vamos ter a reunião com a comissão toda e vamos dar orientações sobre como essa comissão deve fazer o trabalho», afirmou Luís Manuel Cabral aos jornalistas.

Viúva de Nino Vieira parte para o Senegal

«Já produzimos um despacho em que vamos dar a esta comissão o prazo de 15 dias para concluir o inquérito, mas são susceptíveis de prorrogação. Depende também da complexidade da investigação», adiantou o Procurador-Geral.

A comissão de inquérito para investigar as mortes do presidente «Nino» Vieira e do chefe das Forças Armadas foi criada pelo Governo no passado dia 2, mas só hoje inicia funções.

Por seu lado, foi criada também uma comissão militar para investigar o assassínio do Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, Tagmé Na Waié, que tinha dez dias a contar da morte do general para apresentar um relatório, prazo que termina hoje.

O Presidente «Nino» Vieira foi assassinado por militares durante um ataque à sua residência, a 2 de Março, horas depois de um atentado à bomba ter morto o general Tagmé Na Waié.